Sobre o curso

O Curso de Enfermagem consta 40 turmas, sendo 13 no turno manhã, 10 turmas a tarde, 03 no turno da noite e 14 turmas já formadas. Com um total aproximadamente de 4.579 alunos e 37 professores com as seguintes especializações: 01 PhD, 03 doutores, 29 mestres e 04 especialistas e tendo um total de 17 gestores. Tendo 09 projetos de pesquisa, 08 de extensão, 4 ligas, 01 grupo de pesquisa, 10 alunos bolsistas sendo 2 PIBIC 01 Funcap, 03 CNPQ e 4 SCMS.

Áreas de atuação

O Curso estabelece as áreas para Competências Específicas, conforme os campos delimitados pelas Competências Gerais das Diretrizes Curriculares.

As Áreas de Competência Específicas condutoras do Curso devem estar sujeitas à reavaliações constantes.

O Enfermeiro deve possuir, também, competências técnico-científicas, ético-políticas, sócias educativas contextualizadas que permitam:

  1. Atuar profissionalmente, compreendendo a natureza humana em suas dimensões, em suas expressões e fases evolutivas.
  2. Incorporar a ciência/arte do cuidar como instrumento de interpretação profissional.
  3. Estabelecer novas relações com o contexto social, reconhecendo a estrutura e as formas de organização social, suas transformações e expressões.
  4. Desenvolver formação técnico-científica que confira qualidade ao exercício profissional.
  5. Compreender a política de saúde no contexto das políticas sociais, reconhecendo os perfis epidemiológicos das populações.
  6. Reconhecer a saúde como direito e condições dignas de vida e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema.
  7. Atuar nos programas de assistência integral à saúde da criança, do adolescente, da mulher e do homem, do adulto e do idoso.
  8. Ser capaz de diagnosticar e solucionar problemas de saúde, de comunicar-se, de tomar decisões, de intervir no processo de trabalho, de trabalhar em equipe e de enfrentar situações em constante mudança.
  9. Reconhecer as relações de trabalho e sua influência na saúde;
  10. Atuar como sujeito no processo de formação de recursos humanos.
  11. Responder às especificidades regionais de saúde através de intervenções planejadas estrategicamente, em níveis de promoção, prevenção e reabilitação à saúde, dando atenção integral à saúde dos indivíduos, das famílias e das comunidades.
  12. Reconhecer-se como coordenador do trabalho da equipe de enfermagem.
  13. Assumir o compromisso ético, humanístico e social com o trabalho multiprofissional em saúde.
  14. Promover estilos de vida saudáveis, conciliando as necessidades tanto dos seus clientes/pacientes quanto às de sua comunidade, atuando como agente de transformação social.
  15. Usar adequadamente novas tecnologias, tanto de informação como de comunicação para o cuidado de Enfermagem.
  16. Atuar em diferentes cenários da prática profissional, considerando os pressupostos pautados nos modelos clínicos e epidemiológicos.
  17. Identificar as necessidades individuais e coletivas de saúde da população, seus condicionantes e determinantes.
  18. Intervir no processo de saúde, doença e cuidado, responsabilizando-se pela qualidade da assistência/cuidado de Enfermagem em seus diferentes níveis de atenção à saúde, com ações de promoção, prevenção, proteção e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência.
  19. Coordenar o processo de cuidar em Enfermagem, considerando contextos e demandas de saúde.
  20. Prestar cuidados de Enfermagem compatíveis com as diferentes necessidades apresentadas pelo indivíduo, pela família e pelos diferentes grupos da comunidade.
  21. Compatibilizar as características profissionais dos agentes da equipe de Enfermagem às diferentes demandas dos usuários.
  22. Integrar as ações de Enfermagem às ações multiprofissionais.
  23. Gerenciar o processo de trabalho em Enfermagem com princípios de Ética e de Bioética, com resolutividade tanto em nível individual como coletivo em todos os âmbitos de atuação profissional.
  24. Planejar, implementar e participar dos programas de formação e qualificação contínua dos trabalhadores de Enfermagem e de saúde.
  25. Planejar e implementar programas de educação e promoção à saúde, considerando a especificidade dos diferentes grupos sociais e dos distintos processos de vida, saúde, trabalho e adoecimento.
  26. Desenvolver, participar e aplicar pesquisas e/ou outras formas de produção de conhecimento que objetivem a qualificação da prática profissional.
  27. Respeitar os princípios éticos, legais e humanísticos da profissão.
  28. Interferir na dinâmica de trabalho institucional, reconhecendo-se como agente desse processo.
  29. Utilizar os instrumentos que garantam a qualidade do cuidado de enfermagem e da assistência à saúde.
  30. Participar da composição das estruturas consultivas e deliberativas do sistema de saúde.
  31. Assessorar órgãos, empresas e instituições em projetos de saúde.
  32. Cuidar da própria saúde física e mental e buscar seu bem-estar como cidadão e como enfermeiro.
  33. Reconhecer o papel social do enfermeiro para atuar em atividades de política e planejamento em saúde.
  34. A formação do Enfermeiro deve atender as necessidades sociais da saúde, com ênfase no Sistema Único de Saúde (SUS), e assegurar a integralidade da atenção e a qualidade e humanização do atendimento.

O Profissional

Ao final do curso se deseja formar um profissional com o seguinte

  • Enfermeiro generalista no cuidado e suas dimensões.
  • Crítico, propenso à reflexão constante como instrumento a ser utilizado na sua educação permanente.
  • Qualificado para exercer a profissão com rigor científico, com atitude intelectual de busca e inquietação frente aos problemas de saúde, procurando soluções para resolvê-los sempre pautado em princípios éticos.
  • Preparado para conhecer e intervir sobre os problemas, situações de saúde-doença- cuidado prevalentes no perfil epidemiológico da região em que estiver atuando, considerando o perfil epidemiológico nacional.
  • Habilitado a atuar com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como profissional promotor de saúde integral do ser humano.
  • Capacitado para o atendimento das necessidades sociais na área da saúde, reconhecendo o Sistema Único de Saúde e as articulações possíveis com o mesmo, em todas as situações de atenção a saúde, assegurando uma assistência humanizada e de qualidade.
  • Apto a conduzir o processo de atualização técnico-científica da equipe de enfermagem, compreendendo suas necessidades reais, num processo de aprendizagem e construção coletiva do saber, configurando-se em educação permanente.

Frente ao exposto, o enfermeiro deverá apresentar competências e habilidades para desenvolver as ações de enfermagem conforme segue a seguir:

Competências e Habilidades que dizem respeito ao papel do enfermeiro, cujas se encontram claramente definidas nas Diretrizes Curriculares, com fins de orientar a definição das áreas de competência do Curso de acordo com as Diretrizes Curriculares, conforme segue:

Competências e Habilidades Gerais
  • Atenção à saúde
    • Desenvolver ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação à saúde, em nível individual e coletivo.
    • Realizar suas práticas dentro de um contexto contemplado pelo Sistema Único de Saúde, de forma integrada com o mesmo e de forma contínua com as demais instâncias do sistema de saúde.
    • Ser capaz de analisar os problemas da sociedade e procurar soluções para os mesmos, principalmente na área de atuação do enfermeiro.
    • Realizar os serviços dentro dos mais altos padrões de ética e bioética, procurando lembrar que a assistência à saúde é algo maior do que apenas realizar um ato técnico, ou uma sequência deles, mas que tem relação com a resolução do problema de saúde (em nível coletivo ou individual).
  • Comunicação
    • O aluno deverá ser acessível, mantendo confidencialidade das informações a ele confiadas, deverá estar apto a perceber os tipos possíveis de comunicação: verbal, não verbal e habilidades de escrita e leitura, assim como ter domínio de uma língua estrangeira e das tecnologias básicas de comunicação e informação.
  • Tomada de decisões
    • Ter a capacidade de tomar decisões; visando o uso apropriado das mesmas e procurando a efetividade da força de trabalho; utilizando adequadamente os recursos de todas as naturezas e procurando tomar suas decisões contemplando sempre estes aspectos.
    • Ser capaz de avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais apropriadas, sempre baseadas em evidências científicas.
  • Liderança
    • Deverá estar apto a assumir posições de liderança, tendo em vista o bem estar comum e da comunidade alvo de suas ações, comprometendo-se com as ações da equipe e as suas próprias e com o seu resultado, procurando a empatia nas relações com a equipe e atendendo o aspecto da comunicação e do gerenciamento eficaz.
  • Administração e gerenciamento
    • Deverá estar apto a gerenciar a força de trabalho pela qual responde gerenciar e administrar também os recursos físicos e materiais e as informações.
  • Educação permanente
    • Deverá ser capaz de manter uma atitude de aprendizagem permanente, aprender a aprender, na prática e na formação, que deverá encarar como algo dinâmico a ocorrer de forma contínua, tanto para ele quanto para os outros profissionais.
    • Deverá ter compromisso com a aprendizagem das futuras gerações profissionais e os profissionais dos serviços, assim como com a sua própria, favorecendo sempre que possível: a mobilidade acadêmico/profissional, criando canais para a cooperação entre profissionais e serviços em nível nacional e internacional.
Competências e Habilidades Específicas

O Curso estabelece as áreas para Competências Específicas, conforme os campos delimitados pelas Competências Gerais das Diretrizes Curriculares.

As Áreas de Competência Específicas condutoras do Curso devem estar sujeitas às reavaliações constantes.

O Enfermeiro deve possuir, também, competências técnico-científicas, ético-políticas, sócias educativas contextualizadas que permitam:

  • Atuar profissionalmente, compreendendo a natureza humana em suas dimensões, em suas expressões e fases evolutivas.
  • Incorporar a ciência/arte do cuidar como instrumento de interpretação profissional.
  • Estabelecer novas relações com o contexto social, reconhecendo a estrutura e as formas de organização social, suas transformações e expressões.
  • Desenvolver formação técnico-científica que confira qualidade ao exercício profissional.
  • Compreender a política de saúde no contexto das políticas sociais, reconhecendo os perfis epidemiológicos das populações.
  • Reconhecer a saúde como direito e condições dignas de vida e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema.
  • Atuar nos programas de assistência integral à saúde da criança, do adolescente, da mulher e do homem, do adulto e do idoso.
  • Ser capaz de diagnosticar e solucionar problemas de saúde, de comunicar-se, de tomar decisões, de intervir no processo de trabalho, de trabalhar em equipe e de enfrentar situações em constante mudança.
  • Reconhecer as relações de trabalho e sua influência na saúde;
  • Atuar como sujeito no processo de formação de recursos humanos.
  • Responder às especificidades regionais de saúde através de intervenções planejadas estrategicamente, em níveis de promoção, prevenção e reabilitação à saúde, dando atenção integral à saúde dos indivíduos, das famílias e das comunidades.
  • Reconhecer-se como coordenador do trabalho da equipe de enfermagem.
  • Assumir o compromisso ético, humanístico e social com o trabalho multiprofissional em saúde.
  • Promover estilos de vida saudáveis, conciliando as necessidades tanto dos seus clientes/pacientes quanto às de sua comunidade, atuando como agente de transformação social.
  • Usar adequadamente novas tecnologias, tanto de informação como de comunicação para o cuidado de Enfermagem.
  • Atuar em diferentes cenários da prática profissional, considerando os pressupostos pautados nos modelos clínicos e epidemiológicos.
  • Identificar as necessidades individuais e coletivas de saúde da população, seus condicionantes e determinantes.
  • Intervir no processo de saúde, doença e cuidado, responsabilizando-se pela qualidade da assistência/cuidado de Enfermagem em seus diferentes níveis de atenção à saúde, com ações de promoção, prevenção, proteção e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência.
  • Coordenar o processo de cuidar em Enfermagem, considerando contextos e demandas de saúde.
  • Prestar cuidados de Enfermagem compatíveis com as diferentes necessidades apresentadas pelo indivíduo, pela família e pelos diferentes grupos da comunidade.
  • Compatibilizar as características profissionais dos agentes da equipe de Enfermagem às diferentes demandas dos usuários.
  • Integrar as ações de Enfermagem às ações multiprofissionais.
  • Gerenciar o processo de trabalho em Enfermagem com princípios de Ética e de Bioética, com resolutividade tanto em nível individual como coletivo em todos os âmbitos de atuação profissional.
  • Planejar, implementar e participar dos programas de formação e qualificação contínua dos trabalhadores de Enfermagem e de saúde.
  • Planejar e implementar programas de educação e promoção à saúde, considerando a especificidade dos diferentes grupos sociais e dos distintos processos de vida, saúde, trabalho e adoecimento.
  • Desenvolver, participar e aplicar pesquisas e/ou outras formas de produção de conhecimento que objetivem a qualificação da prática profissional.
  • Respeitar os princípios éticos, legais e humanísticos da profissão.
  • Interferir na dinâmica de trabalho institucional, reconhecendo-se como agente desse processo.
  • Utilizar os instrumentos que garantam a qualidade do cuidado de enfermagem e da assistência à saúde.
  • Participar da composição das estruturas consultivas e deliberativas do sistema de saúde.
  • Assessorar órgãos, empresas e instituições em projetos de saúde.
  • Cuidar da própria saúde física e mental e buscar seu bem-estar como cidadão e como enfermeiro.
  • Reconhecer o papel social do enfermeiro para atuar em atividades de política e planejamento em saúde.
  • A formação do Enfermeiro deve atender as necessidades sociais da saúde, com ênfase no Sistema Único de Saúde (SUS), e assegurar a integralidade da atenção e a qualidade e humanização do atendimento.

Estas áreas de Competência Específica são discutidas e reavaliadas semestralmente pelo Corpo Docente do Curso junto à Coordenação, têm a função de nortear a formação do aluno no Curso. Elas definem os assuntos em que deverá ocorrer o processo de ensino e aprendizagem, contemplando a assimilação dos mesmos e a apreensão de habilidades associadas.

Mercado de Trabalho

Conforme anunciado de acordo com as diretrizes o enfermeiro pode atuar em diversos campos de trabalho: hospitais, centros de saúde da família, clínicas, policlínicas, empresas, escolas, turismo, assistência domiciliar, consultorias, auditorias e empreendedorismo, gestão em todas as áreas de atuação, inclusive no ensino de nível técnico e superior, além da docência. Apesar do momento político, a necessidade continua existindo, especialmente nos hospitais e Atenção primária à Saúde.

Enfermagem
Informações
Duração: 5 anos
Tipo de curso: Bacharelado
Modalidade: Presencial
Grade e corpo docente: Visualizar
Matriz curricular: Download
Ementário de disciplinas: Download
Manual de estágio: Download
Conceito Enade: 3
Conceito Preliminar de Curso (CPC): 4
Conceito de Curso (CC): 4

Coordenação do Curso